Foto: Urban Jungle Bloggers

Não à toa o Greenery, o verde dos primeiros dias da primavera e das novas folhagens, foi a cor escolhida pela Pantone – referência mundial em cores – em 2017.

Foto: Urban Jungle Bloggers

Pinterest e Instagram também não nos deixam mentir: o movimento #urbanjungle está invadindo  cômodos de apartamentos ao redor do mundo. Não importa o seu tamanho, quanto mais vasos e plantas, melhor e mais “descolado”.

Foto: Urban Jungle Bloggers

Mas não se engane, encher a casa de plantas é mais do que uma onda de decoração passageira. Faz parte de uma mudança de comportamento que se conecta com os novos tempos.

Foto: Urban Jungle Bloggers

Tem forma melhor de desacelerar, depois de mais um dia, do que chegar em casa e poder estar em harmonia com a natureza e com nós mesmos, nas nossas próprias selvas particulares?

Foto: Urban Jungle Bloggers

Apostamos que você está morrendo de vontade de espalhar vasos pela casa, vai dizer que não?

Foto: Urban Jungle Bloggers

Como cuidar do jardim no verão

Foto: www.1001gardens.org

O sol pode até ser um dos maiores amigos das plantas, mas como diz aquele velho ditado, nada em excesso faz bem. Por isso, o verão obriga a alguns cuidados extras com o jardim. Para ajudar você, fazemos aqui uma lista com dicas para deixar o verde em perfeita sintonia com a estação.

Água/umidade
Com a alta temperatura, a necessidade hídrica das plantas aumenta, por isso você deve regá-las com mais frequência. Nos dias mais quentes, o ideal é molhar os vasos de manhã bem cedo ou ao final da tarde, períodos em que a taxa de evaporação é inferior à taxa de absorção. Não aumente a frequência das regas durante as chuvas de verão.

Como cuidar do jardim no verão

Fotos: www.revistacasaejardim.globo.com

Pragas
O verão é o período do ano com maior incidência de pragas. Vale prestar atenção aos sintomas e sinais dados pelas plantas, que ficam mais suscetíveis quando o excesso de umidade ou iluminação inadequada podem favorecer eventuais ataques.

Adubação
Em oposição ao inverno, época em que muitas plantas entram em estado de dormência, o verão é a estação do crescimento. E como crescimento pressupõe disponibilidade de alimento, é a época certa para caprichar na adubação e prover nutrientes, de acordo com as necessidades de cada planta.

Como cuidar do jardim no verão

Foto: www.bromelia.info

Sol
O ideal é que as espécies de cada área do jardim tenham sido selecionadas de acordo com as características do lugar. As previstas para áreas ensolaradas devem ser expostas a sol pleno. Vale ficar atento, principalmente agora no início do verão, e observar se a folhagem das suas plantas fica seca ou enrugada. Nesses casos, as plantas que se mostrem castigadas pelo sol devem ser relocadas para locais com uma menor incidência diária de raios.

Podas
É hora de esquecer a tesoura de poda que pode ficar guardada até ao final do próximo inverno. As únicas permitidas durante o verão são as de limpeza, realizadas para remoção de galhos mortos. Já a grama merece atenção redobrada, o crescimento dela agora é mais acelerado, exigindo cortes frequentes se a intenção for obter um tapete verde perfeitamente homogêneo.

Como cuidar do jardim no verão

Imagens: www.floresefolhagens.com.br | revistacasaejardim.globo.com

As bromélias (ex:Neoregelia sp.), a moreia (Dietes bicolor), a estrelitzia (Strelitzia reginae), a zâmia (Zamia furfuracea), o guaimbê (Philodendron bipinnatifidum), a orelha-de-elefante (Alocasia macrorrhizos), a falsa-érica (Cuphea gracilis) e a azulzinha (Evolvulus glomeratus) são algumas das plantas de pleno sol que podem ser cultivadas sem medo nas áreas mais ensolaradas do jardim.

Tipos de piscina

Fotos: cse.como.bz | Guía para Decorar

A pouco mais de uma semana do verão, com temperaturas altas da estação mais quente à porta, só aquele mergulho pode salvar nos dias de maior calor. Separamos algumas piscinas para inspirar e atiçar a vontade.

Tipos de piscina

Fotos: TheRoyalPurnama | at-the-corner-down-the-street.tumblr.com

Biológicas ou tradicionais; com paredes de vidro ou em alvenaria; estreitas e longas ou pouco maiores do que uma banheira; de borda infinita ou tipo tanque; escuras ou claras; revestidas de pastilha ou pedra vulcânica… Sim, as possibilidades são infinitas, com certeza uma delas vai combinar com você.

Tipos de piscina

Fotos: jade leaman | archdaily.com.br

Se houver espaço na sua casa, nossa sugestão é apostar em uma natural, que proporciona uma maior integração com a paisagem e dispensa o uso do cloro. Já piscinas tipo tanque ganham posto de solução perfeita para jardins ou terraços menores.

Tipos de piscina

Fotos: archdaily.com.br | limaonagua

Se for optar por uma tradicional, vale inovar e sair do lugar comum. Aposte em linhas retas, assim como materiais naturais e cores neutras, que assumem a vez. As bordas infinitas (uma, duas, três ou todas), protagonizam principalmente em terrenos com desnível e paisagens mais interessantes, dando a sensação de que a piscina se mistura com o horizonte, mas podem ser usadas também em terrenos planos. Alguns detalhes como paredes de vidro também podem criar momentos de maior interesse no conjunto arquitetônico.

Tipos de piscina

Fotos: archdaily.com.br | greenstonesukabumi.com

Piscinas pretas e escuras conferem uma carga dramática muito interessante aos espaços, sobretudo se projetadas com borda infinita, são espelhos d´água perfeitos, refletindo o entorno na sua superfície. Se tornam infinitamente mais interessantes quando se tira partido dessa característica, projetando o espaço envolvente tendo em conta que este será refletido pela lamina d’água.

Tipos de piscina

Fotos: suacasamoderna.com | blairbadge.com

As piscinas revestidas de pedra vulcânica, no estilo Bali, assumem nuances esverdeadas que variam conforme a incidência da luz do sol, se integrando ao ambiente. Esse revestimento confere um visual exótico, uma aparência quase selvagem ao espaço. Fica muito interessante em ambientes com composições vegetais tropicais, de folhagem luxuriante.

Fotos: Joenitte Juarbe | archdaily.com.br

O concreto, resgatado lá do modernismo, parece ter vindo para ficar e ganhou espaço também dentro d’água. Esse estilo resulta num visual contemporâneo e elegante, além de serem uma boa escolha para espaços mais minimalistas ou com uma pegada mais industrial.

Tipos de piscina

Fotos: ohh couture | sainatsukino.tumblr.com

Ainda num clima “menos é mais”, temos à disposição os revestimentos ultraclaros. Piscinas assim nos fazem viajar lá para o Mediterrâneo e o próprio concreto pode se encaixar aqui. Além dele, há outras opções de revestimentos ainda mais claras, como pastilhas de cerâmica brancas (ou quase brancas) e tinta branca – isso mesmo, piscinas caiadas de branco no melhor estilo Santorini.

Em oposição, com o maximalismo e o kitsch em alta, quem sabe se piscinas mais ornadas não estarão por vir? Não faltam lindas e sofisticadas inspirações (para usar com moderação), vindas diretamente de alguns pátios marroquinos e saudi-arábicos. Ousado? Talvez, mas o Instagram agradece.

Preferências para o primeiro mergulho do verão?

Tchibum!

Como tingir roupa em casa

Fotos: modefica.com.br

Que elas são lindas, já estamos cansadas de saber. Mas você sabia que as plantas, flores e frutos, além de dar cor aos nossos dias, colorem roupas? O poder e a diversidade da flora brasileira proporcionam a arte milenar de aplicar pigmentos botânicos de algumas plantas, temperos, cascas e caroços de alimentos para tingir fibras têxteis.

Reunimos alguns exemplos de corantes botânicos de fácil acesso (sem o compromisso das espécies nativas), para você experimentar em casa.

Como tingir roupa em casa

Foto: negociosdamoda.com

O processo é simples:

1 – Escolha o seu tecido: lã e seda apresentam melhor aderência da cor, mas nada impede de usar outra fibra. Tecidos velhos também são mais indicados, uma vez que já passaram por muitas lavagens. Se o seu tecido é novo, lave-o antes do tingimento – use bicarbonato de sódio para algodão e linho. Já lã e seda deve ser lavado com lã e seda.

2 – Em uma panela com água e sal (fixador natural), mergulhe o tecido e deixe de molho na solução fervente durante 30 minutos. Este processo vai garantir uma melhor aderência do pigmento e cores mais saturadas;

3 – Prepare o banho de corante: nesta fase, opte por uma panela grande, que comporte água suficiente para cobrir todo o tecido a ser tingido. Adicione o ingrediente que contenha o pigmento botânico da cor desejada. Deixe ferver por cerca de 30 minutos, ou até que a solução se apresente com a coloração bem forte e retire os pedaços sólidos com um coador;

4 –  Adicione um fixador à solução: sal grosso, vinagre ou alumén de potássio (este último pode ser encontrado em farmácias);

5 – Mergulhe o tecido no banho de corante já com o fixador e ferva por mais 30 minutos, mexendo para que o tingimento seja feito de forma homogênea;

Como tingir roupa em casa

Foto: food52.com

6 – Deixe o tecido em descanso no banho de corante por até 24 horas. O ideal é ir controlando, quanto mais tempo de banho, mais escura a tonalidade obtida;

7 – Lave em água corrente para retirar o excesso de tinta, até que não haja mais libertação de cor na água;

8 – Torça e deixe secar na sombra;

9 – Na primeira lavagem é possível que o tecido ainda solte tinta, por isso é importante que ela seja feita separadamente e com água fria.

Hoje vamos apostar nos legumes e frutas – sem sair da cozinha é possível eleger um dos corantes seguintes. Adicionando água fervente, qualquer pedaço de tecido branco ganha nova vida.

Como tingir roupa em casa

Foto: flaviaaranha.com

Paleta botânica:

Tons de verde – espinafre, alcachofra, etc

Tons de amarelo – açafrão-da-terra, casca de cebola, casca de romã, folhas de eucalipto, urucum, etc

Tons de laranja – casca de cebola, cenoura, urucum, casca de abacate, etc

Tons de marrom – casca de nozes, cebola roxa, café e chá-preto, casca de romã, etc

Como tingir roupa em casa

Fotos: flaviaaranha.com

Tons de magenta– beterraba, flores de hibisco, etc

Tons de rosa – caroço de abacate, etc

Roxo e lilás – casca de açaí, repolho roxo, etc

Tons de azul – repolho roxo e amora, etc

Preto – casca de abóbora.

Como tingir roupa em casa

Foto: flaviaaranha.com

As tonalidades vão variar de acordo com a concentração do ingrediente na água e o tempo de exposição. O mais bacana é que a única forma de obter “aquela” cor que você tanto quer é tentando.

Está na hora da cozinha virar laboratório!

 

Foto: travellerspoint.com

Se por aqui o sol toma conta da maior parte do ano, alguns países, como os de clima mediterrâneo, apresentam as 4 estações bem marcadas. E a Itália não foge à regra, por isso suas frutas mudam de acordo com a época do ano, colorindo as árvores, perfumando os pratos e deixando as feiras fartas de belas opções.

Foto: mimithorisson.com

A oferta de cada fruta é quase sempre restrita à sua sazonalidade. Claro que também podemos encontrar versões importadas o tempo todo, mas as da estação ganham em frescura e preço. Além disso, elas garantem uma alimentação variada e sempre renovando os sabores, hummm…

Fica o convite para uma viagem ao calendário das frutas italianas:

Com o fim dos dias longos e quentes do verão europeu, foi-se a ameixa, a amora, o damasco, o figo, a framboesa, a melancia, o melão, o mirtilo, o pêssego e a uva. Permanece a avelã e as amêndoas secas, que finalmente são colhidas do pé.

Foto: ichigoshortcake.com

Com a chegada do outono, chegam as cores quentes e, com elas, as nozes, que ficam até dezembro. As peras também ficam prontas e daqui para a frente podem ser encontradas durante boa parte do ano, pelo menos até ao início do verão. O outono também é a época da romã, do caqui e, claro, da laranja e da maça que ficam até à primavera.

Foto: halfbakedharvest.com

O frio do inverno traz os melhores aliados contra os resfriados, carregados de vitamina C. Chegam o kiwi e a tangerina, que se juntam à romã, à laranja, à maça e às nozes.

Finalmente, com a primavera, chegam a deliciosa nêspera, a tão esperada cereja e o morango, que atiçam o paladar para o que virá na próxima estação, a mais farta de todas, o verão.

Foto: Flickr sdhaddow

Mas como pensar em Itália sem lembrar do limão? A notícia boa é que ele frutifica praticamente o ano inteiro!