Primavera e vitamina D

Foto: Pinterest @decorecomgigi

Com a chegada da primavera e o fim do inverno, gostaria de alertar sobre a importância da vitamina D para a saúde e a necessidade de mantê-la em níveis ótimos no sangue, afinal são 3 meses de outono seguidos por 3 de inverno. Ou seja, um semestre com uma menor incidência de luz solar e menor síntese de vitamina D.

Primavera e vitamina D

Foto: nyssaskitchen.com

E por que ela é tão importante? Qual a melhor forma de obtê-la? Como adequar os estoques de quem não se expõe ao sol? Existem alimentos que são fontes de vitamina D?

Ela é lipossolúvel, ou seja, precisa de gordura para ser absorvida. Diferentemente de qualquer outra vitamina que precisa ser ingerida, ela é considerada um pré-hormônio por ser transformada a partir do colesterol, assim como na formação dos hormônios esteroides.

Primavera e vitamina D

Foto: lecremedelacrumb.com

A vitamina D é produzida pela nossa pele por meio de um processo que depende da ação dos raios UVB emitidos pelo sol. Os ultravioleta B – únicos capazes de se transformarem em vitamina D – são bloqueados pelos protetores e bloqueadores solares de penetrarem na pele. Para se ter uma ideia, o protetor fator 8 inibe a síntese de vitamina D em 95% e um fator maior do que isso praticamente zera a sua produção.

A vitamina D e o sol são essenciais para a saúde. O uso de roupas também atrapalha a passagem dos raios UVB. Quanto maior a superfície da pele exposta, maior será a produção de vitamina D. Expor apenas mãos e braços não garante níveis desejáveis dessa vitamina. A exposição ao sol deve ser de corpo inteiro, mas a boa notícia é que bastam poucos minutos.

Primavera e vitamina D

Foto: kitchenconfidante.com

Mas, cuidado: os raios UVB também podem queimar, machucar e prejudicar a pele. Tudo é uma questão de dose e sabedoria. Estudos indicam que pessoas de pele muito clara precisam de apenas 5 minutos de exposição ao sol a pino, diariamente, para manter níveis de vitamina D desejáveis. Já peles menos claras precisam de 10 minutos enquanto que as escuras necessitam de 15 a 20 minutos de exposição. Com apenas 5 a 20 minutos de sol, garantimos saúde de sobra com a segurança necessária.

Evitar a exposição ao sol a qualquer custo pode colaborar para o aparecimento de vários tipos de câncer em diferentes órgãos, além de osteoporose, depressão, dor crônica, enxaqueca, diabetes, pressão alta, doenças autoimunes, entre outras.

Primavera e vitamina D

Foto: kitchenconfidante.com

Abaixo uma lista de algumas doenças que podem ser evitadas com as doses adequadas de vitamina D:

  • Alergias
  • Câncer
  • Diabetes
  • Alzheimer
  • Depressão
  • Doenças autoimunes
  • Doenças cardiovasculares
  • Cáries
  • Obesidade
  • TPM
  • Parkinson
  • Oscilações de humor
  • Psoríase
  • Falta de concentração
  • Enxaqueca

Alguns alimentos como ovos, atum, salmão e sardinha são considerados boas fontes de vitamina D, mas o sol é responsável por 80 a 90% de toda a vitamina D que o corpo produz.

Primavera e vitamina D

Foto: glamshelf.com

Para detectar os níveis de vitamina D basta um exame simples de sangue solicitado por nutricionista ou médico. Hoje em dia, a faixa considerada como ótima é entre 40 e 70 ng/ml.

Para quem realmente não consegue se expor ao sol (nem por 5 minutos) e já detectou deficiência de vitamina D no sangue, sugiro buscar ajuda profissional para a prescrição de suplementos manipulados ou prontos de qualidade a fim de garantir o aproveitamento pelo organismo. Mas não se automedique nem compre o primeiro suplemento que vir pela frente. Pode te fazer mais mal do que bem.

Beleza de dentro para fora

O que comer para ter o cabelo bonito

Foto: soderbergagentur.com

Da mesma forma que uma roupa consegue levantar nosso astral, os nutrientes que escolhemos ingerir garantem uma pele linda. Além de bem-estar de sobra, afinal a beleza vem de dentro para fora não é mesmo?  E essa beleza interna, proporcionada por uma alimentação e estilo de vida saudáveis, gera, sem dúvida, uma aparência exterior mais bonita e luminosa.

O que comer para ter o cabelo bonito

Fotos: kissmegray.tumblr.com | farmhousetable.com

Para isso, é necessária a ingestão de alimentos inteiros, de preferência orgânicos e com capacidade desintoxicante como as folhas verdes escuras (agrião, rúcula, alface, couve, espinafre),  vegetais crucíferos (brócolis, couve-flor), limão, frutas com casca, fibras (linhaça, chia, aveia) e água. Muita água! Também vale água de coco que é riquíssima em nutrientes, só não pode abusar e só bebê-la no lugar da água pura, que é insubstituível. Nesse contexto não podemos esquecer do poder detox de chás como hibisco, gengibre, dente de leão, cavalinha, erva cidreira e chá verde, que nos ajudam a eliminar toxinas, estimular a circulação, diminuir a retenção de líquidos, melhorar o funcionamento do corpo e contribuir para a saúde da pele e do cabelo ao mesmo tempo.

O que comer para ter o cabelo bonito

Foto: www.greatist.com

O tipo de dieta que fazemos também interfere na saúde dos cabelos. Cabelos oleosos, por exemplo, costumam ter aparência de sujos e mal cuidados, mas o problema vai além: o excesso de oleosidade pode levar à queda, os poros ficam obstruídos pelo sebo e a nutrição necessária não consegue chegar à raiz. Fora a coceira e a caspa comuns em cabelos oleosos.

O que comer para ter o cabelo bonito

Fotos: www.jessicagavin.com

É claro que a oleosidade não é apenas culpa do que comemos. Na maioria dos casos, o excesso de oleosidade é provocada por alterações hormonais e estresse, mas uma alimentação rica em produtos industrializados, frituras, açúcar e excesso de carnes vai piorar e muito. Para ajudar a controlar a oleosidade capilar, experimente comer alimentos ricos em vitamina A (betacaroteno) como abóbora, cenoura, manga, batata doce e mamão, além de alimentos ricos em zinco, como castanha do Brasil, ostra e frutos do mar.

O que comer para ter o cabelo bonito

Fotos: www.deliacreates.com

Mas se você sofre com o ressecamento do couro cabeludo, saiba que existem alimentos com capacidade de nutrir e devolver a hidratação natural. São eles: ômega 3 (consumir em cápsulas ou aumentar o consumo de nozes, amêndoas, linhaça, chia e peixes como sardinha, atum, salmão e bacalhau, assim como as nozes e amêndoas), frutas e vegetais antioxidantes com frutas vermelhas e roxas (mirtilo, framboesa, amora e morango), abacate e vegetais verde escuros (espinafre, couve, taioba).

O que comer para ter o cabelo bonito

Foto: adventuresincooking.com

Substituir alimentos artificiais e refinados por uma alimentação mais natural e equilibrada é o melhor caminho para garantir uma pele luminosa, cabelos saudáveis e saúde de ferro.

 

Relaxe e… diga sim

Relaxe e diga sim

Fotos: Vogue UK | Meditation

Listas, dúvidas, contas, escolhas… com tanta decisão a ser tomada, dizer não ao estresse é essencial. Enquanto se espera uma festa maravilhosa e inesquecível, a realidade é que a preparação pode ser um tanto quanto cansativa e trabalhosa. Afinal tem um tanto de ansiedade para se tomar as decisões certas, realizar o sonho e ainda fazer tudo caber no orçamento.

Relaxe e diga sim

Foto: Bridal Musings

Embora as soluções práticas passem pela escolha de uma cerimonialista maravilhosa, vale também contar com uma forcinha para o corpo e o astral segurarem a onda na hora de organizar tudo, afinal, é para ser um momento divertido e feliz. Não abra mão de uma prática relaxante para te ajudar a manter a energia lá no alto.

Relaxe e diga sim

Foto: Vogue UK

Se a meditação é a primeira coisa que vem a cabeça, mas você não sabe por onde começar, pode ser bem mais simples do que você imagina. Alguns minutinhos por dia já são incríveis para aquietar a alma e mandar a ansiedade embora. O aplicativo português 5 minutos prega que só esse tempo já basta para esvaziar a mente e relaxar.

Relaxe e diga sim

Foto: Bridal Musings

Para as mais enérgicas, vale escolher um esporte e se jogar, mas dê preferência para algo que não deixe espaço para cabeça começar a ter ideias (ou mudar de ideias!). A ioga é ideal, uma boa massagem e acupuntura também têm o seu lugar, vale apostar.

E, claro, também valem práticas mais espiritualizadas como Reiki e Pranaterapia, uma ferramenta de reorganização energética que promete deixar você nova em folha e para lá de zen. A festa é sua e por mais que seja normal querer que tudo seja perfeito, o mais importante é aproveitar!

Do fundo do mar

Do fundo do mar

Foto: BBC

 Como já contamos para vocês aqui, a dieta mediterrânea faz da Itália um dos países mais saudáveis do mundo quando o assunto é gastronomia e nutrição. E o peixe é um dos principais responsáveis por isso. Sua carne é uma excelente fonte de proteínas, ômega 3, vitamina D, cálcio, ferro, iodo, fósforo, potássio, vitamina B12, entre outros nutrientes importantes para a saúde do coração, tireoide, ossos, cérebro, músculos e células sanguíneas por exemplo.

Do fundo do mar

Foto: Health.com

Os peixes, além de nutritivos, são leves, saudáveis e no geral magros. O pescado de carne branca contém baixo teor de gordura e são de fácil digestão, por isto indico seu consumo regular, de preferência de 3 a 4 vezes por semana.  Já os peixes coloridos como atum, salmão e bacalhau são ricos em ácido graxo ômega 3, que é um tipo de gordura essencial com ação anti-inflamatória e extremamente saudável para o coração mas que agrega em calorias e pode pesar na digestão de pessoas com o estômago sensível.

Do fundo do mar

Foto: Health.com

 Os frutos do mar (camarão, ostra, lagosta, siri, mexilhão, lula e polvo) também são magros e excelentes fontes de proteínas, ômega 3, minerais (fósforo, potássio, zinco, iodo, selênio) e vitaminas, principalmente as do complexo B, C e D. Porém entre 3 e 5% da população brasileira apresenta algum tipo de alergia aos frutos do mar e, nesses casos, seu consumo deve ser evitado. Para os não alérgicos, o cuidado se limita à questão do colesterol, já que esse grupo possui um elevado teor. Outro aspecto negativo é a presença de purina, principalmente no camarão, que pode levar a um aumento do ácido úrico (metabólito tóxico) no organismo. Ou seja, o consumo dos frutos do mar, dentro de uma dieta equilibrada, sem excessos na quantidade e na frequência, não trará riscos para a saúde. Eu recomendo limitar o consumo de camarão, lagosta, siri, ostra e mexilhão para 2 vezes ao mês. Já a lula e o polvo podem ser consumidos até 2 vezes por semana.

Do fundo do mar

Foto: Simply Recipes | Cafe Delites

A  preparação dos peixes e frutos do mar é fundamental para garantir seus benefícios. Por exemplo, se o peixe for à milanesa, vai ficar menos saudável porque o peixe frito contém gorduras prejudiciais ao organismo. Deve-se dar preferência portanto, às versões grelhadas, assadas, ensopadas, cozidas ou vinagrete.

Do fundo do mar

Foto: SBS

Um alerta importante  é sobre  a contaminação dos nossos mares por metais pesados, principalmente o mercúrio, que é prejudicial para a nossa saúde por sobrecarregar o fígado e atrapalhar o funcionamento equilibrado do organismo. Os peixes predadores (como os tubarões) comem outros organismos e absorvem os elementos contaminados que estavam em seu alimento. Por isto, peixes grandes costumam ter mais mercúrio, porque já se alimentaram de muitos peixes pequenos que, por sua vez, absorveram o mercúrio que estava no plâncton.  Ou seja, os peixes que têm maior concentração de mercúrio são os que estão no final da cadeia alimentar, portanto, é importante evitar peixes como panga, cação, anchova, tubarão, cavala, garoupa, tainha, tucunaré, robalo, peixe espada e camarão. Dar preferência aos peixes menores e de águas frias e profundas como sardinha, arenque, truta, linguado, pintado, pescada, tilápia, abadejo e salmão.

Do fundo do mar

Foto: Bon Appetit

Apesar de a contaminação dos mares ser uma realidade, ainda é mais seguro consumir os peixes selvagens, ou seja, criados em seu habitat natural do que os criados em cativeiros como salmão e tilápia vendidos no Brasil. Isto porque os criadores de peixes costumam abarrotar os tanques com peixes em condições de higiene duvidosas, e os alimentam com farinhas, corantes, gorduras  e antibióticos para crescerem rápido e gerar mais lucro. Esses peixes podem causar problemas de visão e alergias como também câncer e toxicidade segundo estudos recentes.

Resumindo: sabendo escolher, peixe é tudo de bom para a saúde!

Próxima parada:  paraíso

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

Nossa viagem segue, de cara para o vento, pela Costa Amalfitana. Desta vez, a vezpa fica estacionada porque o resto do percurso vai ser com o pé no chão, algures entre as localidades de Bomerano e Nocelle, e pertinho, muito pertinho, das nuvens.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

E, já que nossa aventura começa em Bomerano, um vilarejo de Agerola, não vamos partir sem antes entrar em uma salumeria para comprar focaccia, presunto parma e um pouco de mozzarella fior di latte, um tipo de mussarela fresca famosa por estas bandas. Com o melhor sanduíche na mochila e achada a sombra da azinheira mais generosa da trilha, o almoço não será mais uma preocupação.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

Agora, encha o peito e prepare o coração porque o Caminho dos Deuses – ou originalmente, Il Sentiero degli Dei – é entre subidas e descidas e a paisagem vai te deixar sem fôlego.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

O cenário, que na primeira metade do percurso é de caráter mais rural e se desenrola em infinitos sucalcos repletos de vinhedos, hortas, plantações de limoeiros e pastos pontuados de ovelhas e cabras se transforma, na segunda metade do percurso, na típica “mancha mediterrânea” repleta de azinheiras, medronheiros, éricas e alecrins.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

Quase 8 quilômetros de pura poesia – a cada nova perspectiva um brinde à beleza da costa italiana; Capri no horizonte do Mediterrâneo; morros sobrepostos a morros; terraços de plantações e pastagens que se desdobram em mil retalhos; conventos antigos perdidos em encostas verdejantes; vilarejos empoleirados em colinas, que ora se escondem ora se mostram entre as rugas nas montanhas; cheirinho a medronho, limão e mar.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir