Versões saudáveis de pratos italianos

Foto: vikalinka.com

Pizza, lasanha, espaguete, risoto… Hummm, as delícias italianas parecem não ter fim. Na hora de buscar uma alimentação saudável, esses clássicos pratos costumam ser nossos principais inimigos. Mas calma, estamos aqui para ajudar você a encontrar alternativas repletas de sabor, sem trazer danos à saúde.

Versões saudáveis de pratos italianos

Foto: wrytoasteats.com

A massa e a pizza são os mais famosos, mas também temos a deliciosa lasanha, nhoque, ravióli! Hummm, um ravióli recheado com nozes e gorgonzola é divino, mas com queijo de búfala, tomate e manjericão é ao mesmo tempo saudável e delicioso. Neste mesmo contexto, espaguete com frutos do mar, tortellini com ricota e espinafre, nhoque de batata baroa com molho de tomate e carpaccio com alcaparras e folhas verdes também são excelentes opções. Para os amantes da lasanha, basta rechear com carne moída e molho de tomate, sem queijo ralado e limitando a quantidade. Aliás, limitar a quantidade de pratos mais pesados é sempre uma bela solução!

Versões saudáveis de pratos italianos

Fotos: notey.com |  saveur.com

O cardápio típico começa pelas entradas (antipasti), que geralmente são leves como saladas, vegetais, sopas, etc. Depois serve-se o primeiro prato de massa ou arroz, e carnes ou pescados acompanhados de hortaliças. Para finalizar, sobremesa ou frutas da estação. A dica é escolher como entrada uma salada verde ou uma sopinha de legumes ou uma bruscheta na versão mais saudável (ver abaixo) e ficar com apenas um dos pratos principais. Ao invés da massa ou arroz e  peixe ou carne, fique com alguma massa sugerida acima ou com um peixe (ou carne) acompanhado de vegetais (sugiro aspargos ou alcachofras), por exemplo. De sobremesa, frutas, claro!

Versões saudáveis de pratos italianos

Foto: themediterraneandish

Um dos pontos altos da culinária italiana é ter como base ingredientes simples e naturais. Os temperos e ervas aromáticas são usados para realçar o sabor e, de quebra, agregam vários benefícios à saúde. Dizer que um prato está “temperado” significa que ele está sóbrio, equilibrado. Alecrim, orégano, manjericão, salsa, sálvia, noz-moscada e pimenta calabresa são os principais temperos dos pratos  italianos com ações terapêuticas incríveis.

Versões saudáveis de pratos italianos

Fotos: lepassevite.com | carlsbadcravings.com

O alecrim, por exemplo, aumenta o foco mental e pode ajudar no combate a depressão e sintomas da TPM.

Já o orégano é digestivo, antioxidante, anti-inflamatório, fungicida e antibacteriano. O manjericão melhora a circulação e também age como antioxidante e anti-inflamatório natural.

A salsinha é diurética e a sálvia uma erva poderosíssima que reúne ações digestivas, diuréticas, hipoglicêmicas (baixa a glicose no sangue), antissépticas e antioxidantes, além de ajudar no funcionamento do intestino e prevenir até queda de cabelo.

Para finalizar, a noz moscada ajuda a controlar a ansiedade ao passo que a pimenta calabresa tem ação descongestionante e expectorante, ajuda no emagrecimento diminuindo o apetite e aumentando o metabolismo e é excelente para as pessoas que sofrem de enxaqueca. Por isso, faça uso de temperos e ervas sem moderação.

Abaixo como tornar saudável alguns dos pratos italianos típicos:

1) Brusqueta: fazer com torrada integral, tomatinhos frescos, manjericão, azeite extravirgem, pimenta e alho.

2) Risoto: substituir o clássico arroz arbóreo pelo arroz integral ou preto, usar azeite no lugar da manteiga e combinar com lula ou polvo.

3) Espaguete: fazer no alho e azeite (ao invés de óleo) ou à primavera (com abobrinha, berinjela, cenoura, ervilha, pimenta, cebola  e manjericão) no lugar da versão à carbonara feita com ovos, queijo gordo (pecorino) e bacon.

4) Lasanha: melhor de carne do que com molho branco, mas ainda melhor é trocar a massa por berinjela (ou abobrinha), usar molho de tomate caseiro, orégano, azeitonas e queijo curado para gratinar.

5) Arroz à piamontese: substituir alguns dos ingredientes clássicos como o arroz branco pelo integral, o óleo pelo azeite, o champignon em conserva pelo fresco, o queijo mussarela pelo curado e o creme de leite de vaca pelo creme de arroz. Fica delicioso e mais saudável.

6) Pizza: substituir a farinha de trigo pela integral ou pela de quinoa, ou ainda usar tapioca ou pão sírio integral. Rechear com molho de tomate caseiro, cebola, brócolis, rúcula e queijo minas padrão light (ou mussarela light).

Intestino saudável

Foto: 365daysofcrockpot.com

Chamado por alguns especialistas de “segundo cérebro”, o intestino tem uma ligação estreita com o nosso sistema nervoso, já que nele também são produzidos neurotransmissores importantes, como a serotonina, tão fundamental para o bem-estar. É daí que vem a expressão “enfezado”. A falta de leveza intestinal provoca o enraivecimento, nervosismo e mau-humor. Isso mesmo, um intestino “preso” atrapalha a produção de neurotransmissores importantes para um dia a dia mais feliz.

E apesar de não ser um assunto comum, é importante falar sobre ele. Só assim você pode saber se  o seu corpo está saudável. Quando for ao banheiro, repare nos seguintes fatores que indicam saúde intestinal: sensação de esvaziamento, coloração marrom típica, afundamento e formato de salsicha. Caso contrário, significa que você precisa comer mais fibras e beber água.

Intestino saudável

Fotos: ilovevegan.com

Um desarranjo persistente, por exemplo, além de desidratar, pode ser uma aviso sobre alguma intolerância alimentar. Já a presença de alimentos inteiros significa pressa ao se alimentar. É muito importante mastigar bem antes de engolir para que sejam bem aproveitados pelo organismo.

A ida ao banheiro pode acontecer diariamente ou não. Pessoas que vão dia sim, dia não, ou até a cada 3 dias, podem ter um intestino tão eficiente quanto quem vai todos os dias. Comer demais ou de menos vai impactar diretamente na quantidade. Quem come pouco, não bebe água e evita vegetais, pode não conseguir evacuar diariamente.

Intestino saudável

Foto: saudeemgeral.com.br

A melhor maneira de garantirmos um intestino saudável e eficiente é através de uma alimentação natural, rica em fibras e com muita água. Muito importante também evitar alimentos industrializados e excesso de açúcar. Para quem não sabe por onde começar, experimente substituir biscoitos e balas por frutas, adicionar vegetais (como alface e tomate) nos sanduíches e trocar o arroz branco pelo integral. Já é um belo começo!

Intestino saudável

Fotos: dontwastethecrumbs.com | amyshealthybaking.com

Faz tudo direito e mesmo assim sofre com o intestino? Então confira minha receita infalível:

Creme de ameixa

  • 5 ameixas secas cozidas (deixar de véspera em um copo com 200ml de água)
  • 1 col de sopa de semente de linhaça dourada ou chia (deixar de véspera com 100ml de água na geladeira)
  • 1 col de sobremesa de farelo de aveia
  • 150ml de água

Preparo: bater todos os ingredientes no liquidificador até formar um creme liso e ingerir ainda em jejum, ao acordar.