O Leopardo

O Leopardo

Imagem: reprodução

Entre os mais diferentes estilos, do barroco exagerado de Fellini ao minimalismo chique de Antonioni, o cinema italiano em seus anos de ouro representava sempre um deleite visual inigualável. E um dos filmes mais inesquecíveis nesse sentido é O Leopardo.

Obra-prima de Luchino Visconti, baseado no romance Il Gattopardo, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa, o filme de 1963 conta com um estrelado elenco que inclui Burt Lancaster, Claudia Cardinale e Alain Delon, e foi o grande vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes daquele ano.

O Leopardo

Imagem: reprodução

Pudera, o épico traçava a decadência da aristocracia italiana baseada nas ilhas da Sicília no século XVIII. Além da beleza de seu elenco e da história de amor que cruza a alternância de poder entre a nobreza e a burguesia, o filme tem o olhar brilhante do diretor.

A visão grandiosa e teatral de Visconti era pautada não só pela sua memória e vivência pessoal, mas também pela sua experiência na criação de grandes peças e óperas, muitas estreladas por Maria Callas.

O Leopardo

Imagem: reprodução

O Leopardo ficaria para sempre conhecida como a obra mais memorável do seu diretor, também responsável por grandes filmes como Rocco e seus irmãos e Morte em Veneza. Entre os “detalhes” luxuosos do filme estão a beleza deslumbrante da Sicília, as cenas filmadas no Palácio Gangi San Lorenzo e uma música exclusiva do compositor Giuseppe Verdi para uma das cenas mais emblemáticas.

Luz, câmera, ação: