Madeleine Peyroux

Madeleine Peyroux

Foto: tapmusic.net

Desde que nasceu na comunidade negra americana no começo do século 20 em Nova Orleans, o jazz ganhou divas que atingiram notas inesquecíveis e que se apresentavam entre Chicago e NY rimando dor, beleza e esperança. Até que o mundo inteiro se rendeu ao estilo, que segue se modernizando e ao mesmo tempo habilmente se mantendo clássico e eterno.

Madeleine Peyroux

Foto: CBS

De lá para cá o jazz ganhou novos sotaques, influenciou outros gêneros e se multiplicou em novos ritmos pela voz de divas contemporâneas, que seguem homenageando as grandes damas, mas também renovando o estilo, como nossa musa de hoje, Madeleine Peyroux.

A americana com nome francês e alma nômade cresceu num ambiente supermusical e com pitada hippie. Ela se encontrou com o gênero ainda criança, tocando o ukelele de sua mãe. Mas foi mesmo aos 15 anos que a artista se descobriu cantora, quando começou a se apresentar pelas ruas de Paris.

Madeleine Peyroux

Fotos: katewolfmusicfestival.com

Logo veio o primeiro álbum, Dreamland, que a alçou ao posto de Billie Holiday do século XXI, nada mal, não é mesmo? Depois disso Peyroux decidiu se lançar novamente numa vida nômade, voltando a tocar anônima pelas ruas e cafés de Paris e dos EUA, enaltecendo um estilo de vida mais livre e simples, que marca muitas de suas composições.

Madeleine Peyroux

Foto: London Jazz News

A cantora só voltaria a produzir um novo álbum em 2004, voltando assim aos palcos, para a nossa sorte! De lá para cá já vieram mais 5 álbuns e uma carreira cada vez mais consolidada e encantadora, como ela vai mostrar mais uma vez em breve aqui no Brasil. Vamos conferir?

Com vocês, Madeleine Peyroux: