Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Lá na pontinha do litoral norte do Peru, quase na divisa com o Equador, fica uma praia encantadora chamada Mancora. Conhecida por surfistas do mundo todo e famílias que curtem um estilo mais alternativo, Mancora é uma vila rústica, mas com ótimas pousadas e excelentes restaurantes.

Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Nos últimos anos, Mancora tem se tornado um refúgio para pessoas de vários cantos do planeta (encontrei americanos, italianos, franceses, argentinos, colombianos…) que vão até lá em busca de um lugar tranquilo, onde a vida passa quase em câmera lenta. Há muitos que vão para passar férias, outros escolhem a praia para viver em outro ritmo.

O mar é lindo, limpo e bom para mergulhar. Uma das coisas que nos chamou muita atenção foram as revoadas de pássaros durante todo o dia. Eles pareciam dançar no céu. O pôr do sol no mar também é um espetáculo imperdível.

Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Quando ir

Chove pouco na região, então a paisagem é desértica e árida. Não faz calor demais e o mar não é tão gelado como em outras partes do litoral peruano. O ano todo tem clima bom e as poucas chuvas que ocorrem caem entre o fim de janeiro e o começo de março.

Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Onde se hospedar

A Praia da Vila, embora seja bonita, não é charmosa. Por isso, a minha dica é se hospedar em Las Pocitas, uma praia ao lado onde ficam casas lindas e pousadas gostosas. A faixa de areia é quase deserta e praticamente não circulam vendedores de comida. Os ambulantes que passam por ali vendem apenas chapéus Panamá, redes e artesanato. Nós escolhemos o Hotel Arenas Mancora, um dos mais estruturados da região. Além de lindo, o hotel é muito confortável, com ótimo atendimento, quartos deliciosos e um restaurante espetacular.

Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

O que comer

Voltei apaixonada pela comida peruana: desde restaurantes de chefs estrelados até as cevicherias mais populares, se come muito bem em todos os lugares. Na rua principal de Mancora, há opções bem rústicas de comida peruana e também outras especialidades como pizza, hambúrguer e sushi. Um dos mais badalados é o Sirena D’Juan.

Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Como chegar

Há três opções de aeroporto: Piura, Talara e Tumbes. De Piura, que fica a 180km de Mancora, há voos frequentes vindos de Lima, mas a estrada é muito ruim. O aeroporto mais próximo é o de Talara, a 80km, , mas os voos para Lima são menos regulares e mais caros. Tumbes fica a 130km e, na alta temporada, há dois voos diários pela Lan. Mas, como é a porta de entrada para várias praias bem turísticas do litoral, os voos costumam ser bem concorridos, tem que comprar com antecedência. Muitos hotéis oferecem transfer de ida e volta para os aeroportos.

Mancora, Peru

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Como se locomover

Nas praias, a melhor forma de locomoção são os tuk tuks (que custam por volta de R$5 a corrida). Como um dos nossos objetivos na viagem era conhecer diferentes praias na região, preferimos alugar um carro.

Fernanda Avila Ferreira é jornalista, autora do Guia de Nova York com Crianças, coautora do blog Viajo com Filhos e mãe da Olivia (9 anos) e Marina (14 anos).

Londres com crianças

Como minha parceira do blog Viajo com Filhos já contou aqui há 2 semanas, agora vamos dar dicas de viagens em família que prometem criar memórias inesquecíveis para você e para os pequenos.

Para começar, conto aqui um pouco sobre mim. Sou Patricia Papp e gosto tanto de viajar com meus filhos que virei uma especialista no assunto. Escrevi 2 livros: Como Viajar com seus Filhos sem Enlouquecer e Praias do Nordeste com Crianças.

Viajo com eles desde que são bebês de poucos meses, já fomos para lugares como Tailândia, passamos por Dubai, visitamos a Disney, Paris, Londres, Canadá, diversos países da América Latina e também adoramos viajar pelo Brasil.

Viajar em família sempre me proporcionou momentos muito gostosos. Adoro essa quebra da rotina, quando temos mais tempo para conversar sem interrupção e não preciso cobrar as pequenas coisas do dia a dia, como fazer as lições.

Londres com crianças

Para onde ir?

Sempre me perguntam qual o melhor destino para ir com crianças. Claro que a resposta muda de família para família. Tem quem goste de natureza, de cidade grande, parques de diversões, praias, trekking ou museus. O que importa é que cada família descubra com qual estilo de viagem se identifica mais.

Já que posso usar este espaço para indicar vários destinos, vou começar por uma capital europeia que é um destino muito interessante para crianças e também para adultos: Londres!

Londres com crianças

Quem já foi para Londres sem filhos pode até estranhar, já que a cidade é grande e intensa. À primeira vista parece pouco child-friendly. Mas quando fui com as crianças, percebi muitas características curiosas e interessantes aos olhos deles como os ônibus vermelhos de dois andares, as cabines telefônicas, os palácios onde moram rainhas e príncipes de verdade, as pontes que se abrem para os barcos passarem…

Há tantas opções de programas em Londres, que vale a pena ficar pelo menos 5 dias na cidade. Alguns dos principais pontos turísticos na região central, como o Parlamento Inglês, o famoso relógio Big Ben, a London Eye à beira do rio Tâmisa, a Trafalgar Square, o Buckingham Palace e Covent Garden podem ser visitados em um passeio a pé que dura um dia inteiro, com parada para o almoço.

Londres com crianças

A região da Tower Bridge também é muito interessante. Além da icônica ponte, ali fica também a Tower of London, que hoje abriga as joias da coroa, mas já foi palácio e prisão. Na porta ficam os Beef Eaters, aqueles guardas que se vestem de maneira típica. Vale a pena ir até o relógio do sol, onde está ilustrada toda a história de Londres.

No Hyde Park recomendo navegar de pedalinho no lago Serpentine e quem estiver com crianças pequenas não pode deixar de brincar no Diana Memorial Playground que fica bem próximo, em Kensington Gardens. Os fãs de arquitetura ficam encantados com a Serpentine Gallery, desenhada por Zara Hadid.

Conhecer o Observatório de Greenwich também é muito interessante. É ali que passa o meridiano de Greenwich, com uma linha simbolizando a “Hora Zero” UTC. O parque é um ótimo local para um piquenique.

Londres com crianças

Uma ótima opção de programa para dias de chuva são os museus. Alguns deles são especialmente interessantes para crianças, como o Museu de História Natural e o Museus de Ciências, além dos tradicionais British Museum e a National Gallery.

Outros programas que as crianças amam em Londres e são imperdíveis:

 

 

Viagem com os filhos

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Antes de começar esse texto, vou me apresentar rapidinho. Meu nome é Fernanda, sou jornalista, autora do Guia Nova York com Crianças e coautora do blog Viajo com Filhos. Sou mãe da Marina (14 anos) e da Olivia (8 anos). Eu e a Patrícia Papp (daqui a 2 semanas ela vai se apresentar também) começamos o blog em 2010 para contar nossas aventuras com a família mundo afora. E é isso que vamos compartilhar aqui com vocês a partir de agora, numa editoria quinzenal que vou dividir com ela.

Viagem com os filhos

Queremos compartilhar não só as dicas, mas a paixão que temos por colocar o pé na estrada e aproveitar o tempo com as crianças em um outro ritmo. Para nós, viajar não é apenas conhecer lugares e culturas diferentes. A viagem traz muito mais do que isso: ela nos dá a oportunidade de nos conectarmos com os nossos filhos com mais tranquilidade, com tempo para conversar e brincar. Podemos observá-los e ouvi-los, curtir a companhia deles sem as chatices da rotina, da correria, do trânsito. Podemos ver o mundo através dos olhinhos deles, trocar percepções e aprender juntos.

Viagem com os filhos

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

De motorhome pela Califórnia

Essa concepção de que a viagem é uma forma de aproveitar a vida em outro ritmo foi o que nos levou a fazer uma viagem pela Califórnia de motorhome (chamado por lá de RV). A Olivia, minha filha mais nova, é muito caseira. Ela tem um tempo diferente, precisa fazer pausas ao longo do dia. Mesmo nas viagens, gosta de passar horas brincando sem pressa no quarto do hotel ou apartamento. Então veio a ideia: e se ela pudesse viajar sem sair de casa?

Viagem com os filhos

Decidimos alugar um motorhome para ir de São Francisco até Los Angles pela famosa (e linda) Highway One. Como era a nossa primeira experiência com esse meio de transporte, decidimos ficar apenas 4 noites. Foi um teste para próximas viagens. O resultado? Uma das experiências mais incríveis que já tivemos na vida. E você, já pensou em fazer algo assim? Separei alguns pontos importantes nesse tipo de viagem para te ajudar a decidir se é uma boa escolha para a sua família.

Viagem com os filhos

Fotos: Fernanda Avila e Fhabyo Matesick

Alguns pontos a destacar:

  1. Viajar de motorhome é muito legal, mas você precisa ter um certo desapego do luxo e conforto.
  2. Leia muito antes, pesquise em blogs, converse com pessoas que já fizeram esse tipo de viagem. Quanto mais informações você tiver, mais garantia de sucesso nessa aventura!
  3. Você sabe viajar com poucas roupas na bagagem? Apesar de ter muitos armários dentro do motorhome, o ideal é separar algumas peças-chave para que tudo fique mais organizado.
  4. Planejamento é a palavra de ordem: antes de começar a viagem é fundamental passar em um supermercado para comprar itens de limpeza e comidas.
  5. Também tem que planejar bem o roteiro e as paradas noturnas: importante fazer reserva em alguns campings com certa antecedência. É possível dormir na rua (sempre há sinalização quando o local não permite estacionar), em estacionamentos de supermercados e postos de gasolina e até em casas de família que oferecem estrutura para isso.
  6. Na hora de contratar, você escolhe se quer que o motorhome venha com os kits de lençol, acolchoado, travesseiro e toalhas. Há também o kit de pratos, copos, talheres, panelas… Você pode levar algumas coisas do Brasil ou até comprar tudo isso, talvez até saia mais barato, mas não é nada prático.
  7. Compre uma lanterna, ela vai ser essencial para a exploração noturna dos lugares onde vocês vão parar.
  8. Por último: a única coisa que não pode faltar na sua bagagem é bom humor. Poucas coisas na vida são tão divertidas quanto juntar a família em uma aventura como essa. Não deixem que briguinhas bobas atrapalhem essa experiência que vai ficar marcada para o resto da vida na memória de todos!

 

 

Navagio | Praia mais bonita do mundo

Fotos: divulgação

Independentemente de onde tenha sido nossa virada de ano, seja vendo fogos incríveis, em casa com a família ou em algum lugar inesquecível, a verdade é que já começamos 2018 com o astral lá em cima e muitos desejos. E o primeiro do ano viaja para onde mais queremos estar nesse verão, com vista para o mar.

Navagio | Praia mais bonita do mundo

Fotos: divulgação

Já pode escrever na lista das suas próximas férias o nome de um lugar paradisíaco: Navagio. Depois de ver as fotos da praia, que acabou de ser eleita pelo Huffington Post a mais bonita do mundo, é bem possível imaginar que muitos deuses gregos passeavam por lá.

Navagio | Praia mais bonita do mundo

Fotos: divulgação

O título, que já foi de algumas praias brasileiras, dessa vez enaltece esse paraíso quase secreto, que só é acessado pelo mar, através de cruzeiros, ou de barqueiros que cruzam a costa grega algumas vezes por dia. Por acaso um grande barco é também a grande atração do lugar, além das areias fininhas e da água transparente, o navio naufragado Panagiotes acaba se integrando ao cenário, deixando tudo mais lúdico, com ar mitológico.

E um ano mágico é tudo que queremos!

Próxima parada:  paraíso

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

Nossa viagem segue, de cara para o vento, pela Costa Amalfitana. Desta vez, a vezpa fica estacionada porque o resto do percurso vai ser com o pé no chão, algures entre as localidades de Bomerano e Nocelle, e pertinho, muito pertinho, das nuvens.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

E, já que nossa aventura começa em Bomerano, um vilarejo de Agerola, não vamos partir sem antes entrar em uma salumeria para comprar focaccia, presunto parma e um pouco de mozzarella fior di latte, um tipo de mussarela fresca famosa por estas bandas. Com o melhor sanduíche na mochila e achada a sombra da azinheira mais generosa da trilha, o almoço não será mais uma preocupação.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

Agora, encha o peito e prepare o coração porque o Caminho dos Deuses – ou originalmente, Il Sentiero degli Dei – é entre subidas e descidas e a paisagem vai te deixar sem fôlego.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

O cenário, que na primeira metade do percurso é de caráter mais rural e se desenrola em infinitos sucalcos repletos de vinhedos, hortas, plantações de limoeiros e pastos pontuados de ovelhas e cabras se transforma, na segunda metade do percurso, na típica “mancha mediterrânea” repleta de azinheiras, medronheiros, éricas e alecrins.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir

Quase 8 quilômetros de pura poesia – a cada nova perspectiva um brinde à beleza da costa italiana; Capri no horizonte do Mediterrâneo; morros sobrepostos a morros; terraços de plantações e pastagens que se desdobram em mil retalhos; conventos antigos perdidos em encostas verdejantes; vilarejos empoleirados em colinas, que ora se escondem ora se mostram entre as rugas nas montanhas; cheirinho a medronho, limão e mar.

Próxima parada

Foto: Ir ou não ir