O blog da Maria Filó

Mês da Mulher: seja gentil com você

Como Caetano Veloso sabiamente canta, “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. E se tratando de ser mulher, as delícias são várias. Cada uma de nós enxerga o mundo de um jeito único. Nossas qualidades são múltiplas, olhamos para cada detalhe com força e afeto.

Mas as dores também são muitas. Para começar, somos fortes que só. Passamos, por exemplo, por cólicas, parto, depilação e procedimentos estéticos. Mas não só as dores físicas, como também as psicológicas, são um desafio diário de ser mulher. Não à toa. Afinal, a sociedade sempre cobrou muito da gente, então acabamos colocando uma carga muito grande em cima de nós.

Síndrome da Mulher Maravilha

Muitas mulheres sofrem da Síndrome da Mulher Maravilha. Já ouviu falar nela? Queremos dar conta de tudo ao mesmo tempo. Realizar múltiplas tarefas, sermos ótimas profissionais, cuidar da casa, da família, do corpo, estudar, namorar… ufa! E onde nossa saúde mental fica em meio a tudo isso?

Por isso, convidamos você a aproveitar o Mês da Mulher para refletir. Sobre sermos menos duras e autocríticas com nós mesmas, a nos tratar com carinho. Sobre nos darmos um tempo para relaxar.

No fim das contas, a autocobrança excessiva é uma forma de se sentir no controle de tudo ao mesmo tempo. Permita-se errar, experimentar, viver. Os tropeços, no mínimo, geram boas gargalhadas. E rir, convenhamos, só deixa a vida mais gostosa.

No seu ritmo

Tudo bem não ser uma boa dançarina e, mesmo assim, dançar. Pelo simples prazer de libertar o corpo. Sentir a música no seu ritmo, que não necessariamente é o de outra pessoa. Sem medo de julgamentos. Está tudo bem. A jornada é, acima de tudo, sua. Imagina só a quantidade de tempo que você perde e as oportunidades que deixa passar pensando no outro e não em você?

 

Não existe perfeição. Na verdade, acreditar nela só gera frustração. Porque, assim, vamos estar sempre tentando, com a sensação que nosso dia nunca tem horas suficientes. Que não dançamos bem o bastante. Que não somos bonitas. Você sabia que apenas 4% das mulheres se acha bela? Foi o que uma pesquisa de 2011 descobriu. Foram entrevistadas 6.400 mulheres, entre 18 e 64 anos, de 20 países, incluindo o Brasil.

Seja gentil com você

Acredite: gentileza consigo mesma é uma habilidade que pode ser treinada. Uma dica é, por exemplo, não falar com você do jeito que não falaria com outra pessoa. Pegar mais leve e não se autodepreciar. Se buscamos elogiar as pessoas que mais amamos, por que não fazermos o mesmo conosco?

Outra sugestão é buscar sempre se conhecer. Reconhecer as próprias qualidades, entender o que te faz feliz. Lançamos um desafio para ajudar nessa jornada de autodescoberta. Que tal fazer uma listinha com 5 características suas que te tornam única?

 

Também vale sempre olhar para outras mulheres com menos exigência. Quanto mais você cobrar da outra, mais vão cobrar de você. Um bom recurso é sempre colocar homens e mulheres em igualdade quando o assunto for estética. Por exemplo: se os achamos bonitos quando estão grisalhos, por que, na maioria das vezes, não pensamos o mesmo de nós?

Tente olhar para você por si mesma, não pelo outro. A mulher se amar genuinamente é um ato revolucionário. A revolução é diária, cultivada com carinho, dentro de nós.

E, no fim das contas, dançar de um jeito esquisito é um charme. Saborear a vida, se levar menos a sério, ver beleza no que foge à regra. Liberte-se!

 

Mais delícia e menos dor. Vamos tentar?

 

  • Tags

  • #Autocobrança excessiva
  • #mesdamulhermf
  • Nos últimos meses, o modo cooking therapy foi mais ativado que nunca. ...
    saiba mais
  • Nada melhor do que ter um closet todo arrumado, com cada coisa em seu ...
    saiba mais
  • Mulheres que abraçam a missão de inspirar outras mulheres: é nesse cam...
    saiba mais
  • compartilhar post

    posts relacionados

      MARIA FILÓ © 2017 Todos os direitos reservados.