O blog da Maria Filó

Partiu Istambul!

Por Flávia Zimetbaum

Istambul é a única cidade do mundo que fica em dois continentes: Europa e Ásia, que são separados pelo canal de Bósforo e ligados por lindas pontes que ficam super iluminadas à noite. Assistir o por do sol na Galata Bridge é um espetáculo. Caminhar pela região revela a todo momento uma sucessão de contrastes e numa mesma rua podemos esbarrar com mulheres de terninho e super maquiadas ou então trajando hijab (veu islâmico). É esse contraste entre o moderno e o conservador que faz dela uma cidade tão encantadora.

Os castelos e harém de Istambul

O trajeto pelo canal é um dos passeios turísticos mais bonitos. É bom parar dar um relax e aproveitar a vista, pois na beira do Bósforo ficam os melhores hotéis, palácios e restaurantes. Um desses palácios é o Dolmabahce, um tipo de Versalhes à moda turca. O luxo e riqueza deste palácio são estonteantes.

Nos jardins do palácio TopiKapi

Na parte antiga/histórica da cidade ficam as principais mesquitas de Istambul: A Mesquita Azul e a Aya Sofia. Nas mesquitas não se entra calçado e na porta de cada uma são distribuídos sacos plásticos para guardar os sapatos. Mulheres também não podem entrar de shorts ou saias curtas. São distribuídos panos/xales para que se envolvam. Em algumas pede-se inclusive que se cubra o rosto em sinal de respeito a fé muçulmana. Como são casas de oração, o silêncio impera no local e mulheres e homens rezam em áreas separadas.

Topikapi

Neste mesmo centro histórico se encontra a Cisterna da Basílica, que é um imenso reservatório de água da época bizantina e foi descoberta recentemente. Na Turquia não existiam reis e sim sultões e um dos maiores palácios é o TopiKapi, onde vale passar no mínimo uma tarde de tão grande que é. A área é formada por uma sucessão de pavilhões de jardins, onde estão expostas a coleção de tesouros dos sultões. O ponto mais famoso de lá é o harém e é muito interessante ver como as mulheres eram bem tratadas.

O Grand Bazar também existe há bastante tempo e é imperdível. Lembra um labirinto sem fim e encontra-se de tudo pelos corredores: tapetes, jóias, pashminas, artesanato, especiarias, roupas típicas, além de Nerguiles de todos os tamanhos. Tem também o Arasta Bazar, que é bem mais novo, menor e menos confuso. São lojinhas que vendem coisas parecidas, mas com qualidade e aparência um pouco melhores. As lojas de joias são de perder a cabeça.

Nos mercados de especiarias

No interior das Mesquitas

Outro lugar que não se pode deixar de ir é o mercado de especiarias onde se vende todos os tipo de temperos e chás que se pode imaginar. Vale lembrar que se deve negociar TUDO na Turquia, principalmente se vocês estiver em um mercado. Para os turcos é um ofensa comprar algo no preço que é oferecido. Reduza para pelo menos a metade e vá negociando. Eles são engraçados e pechinchar faz parte da cultura local.

A noite de Istambul é recheada de restaurantes incríveis como o 360*, que tem uma vista linda da cidade. O Sunset é todo aberto e é uma delícia para ver o pôr do sol. AL Jamal é um dos mais famosos pela comida local e os famosos shows de dança de ventre, além de outros mil bons restaurantes.

Os ladrilhos encantaram a Flavinha

E por falar em restaurantes tem um complexo de 3 restaurantes chamados La Reina, que ao longo da noite vira night animadíssima.

Ele está localizado na beira do Bósforo (chega-se de carrou ou de barco) e fica embaixo de uma das pontes que interligam a cidade. Essa ponte é TODA iluminada e é um dos visuais mais bonitos de Istambul de noite.

 

A Flavinha é nossa estilista querida que desenha as peças jeans! 
Lembra do passeio que fizemos pela casa dela?
  • Tags

  • #Viagem
  • Chego em casa e vejo uma vela no formato de um ponto de interrogação e...
    saiba mais
  •       Sabe aqueles momentos de mudança, quando sentimos...
    saiba mais
  • Lua de mel romântica no Caribe
    07.01.2020 • Cultura
    É sempre difícil escolher o destino da lua de mel, mas é fácil imagina...
    saiba mais
  • compartilhar post

    posts relacionados

      MARIA FILÓ © 2017 Todos os direitos reservados.