Na correria do dia a dia, às vezes esquecemos de como é importante nos cuidarmos. Ainda bem que existe um mês especial para lembrar e trazer informação sobre um assunto tão importante para nós, mulheres.

Por aqui reunimos os posts que publicamos ao longo do mês nesse espaço tão especial que é o Na Filó. Com dicas e projetos para lá de bacanas, buscamos não só a prevenção, mas também caminhos de bem-estar e autoestima para superar o câncer de mama. Confira:

Outubro Rosa

Para começar nossa série especial, a nutricionista Patrícia Augstroze ensina quais alimentos ajudam a prevenir a doença. Descubra aqui quais são.

Outubro Rosa Sabia que no ano que vem será lançado um documentário sobre o tema? A partir de entrevistas com mulheres ao redor do mundo, o filme é uma mensagem de coragem que desmitifica o câncer e traz um novo olhar sobre a vida. Conheça o projeto.

Já ouviu falar no P.ink Day? É um lindo projeto que todo ano reúne um grupo de tatuadores que durante um dia tatuam gratuitamente mulheres que sofreram com a doença, ajudando a ressignificar suas cicatrizes com um enfeite para o corpo e a alma. Confira aqui.

Outubro Rosa

Também conversamos com a dra. Patrícia Alves, oncologista que dá conselhos preciosos sobre o cuidado contra a câncer de mama. Saiba mais.

Cuidar do corpo é importante, mas a mente é indissociável dele. Tivemos uma Conversa Afinada com a psico-oncologista Jéssica de Riba, que defende a importância do bem-estar emocional, da troca de experiências e do otimismo na busca pela cura. Leia aqui.

 

Especial Outubro Rosa

Às vezes é um filme que traz uma mensagem do bem, em outras são iniciativas bacanas que nos ajudam a superar momentos difíceis. Quando eles surgem, nada como buscar informação, além de cuidar do corpo e da mente, afinal os dois são indissociáveis e trabalham juntos para nosso bem-estar.

Manter a positividade é como um remédio, defende a psico-oncologista Jéssica de Riba, responsável pelo Grupo Conviver, projeto de apoio psicológico da São Carlos Saúde Oncológica. Hoje conversamos com ela, que dá conselhos para enfrentar o câncer com otimismo e troca de experiências.

Confira a entrevista:

Qual é a importância do acompanhamento psicológico durante o tratamento?
Tão importante quanto a busca por novos medicamentos e tecnologias de enfrentamento ao câncer é encontrar maneiras de ajudar o paciente a lidar com o diagnóstico. Ainda que parte dos tumores malignos tenham bons prognósticos, o câncer tem um impacto significativo na qualidade de vida dos pacientes e seus familiares, por isso a importância do acompanhamento psicológico desde o diagnóstico. Em alguns momentos, o simples fato de oferecer à pessoa um espaço onde ela possa falar de seus sentimentos e expectativas frente ao câncer pode fazer com que novos significados sejam dados à vida. O papel do psicólogo consiste em trabalhar suas vivências e possibilitar ao paciente a compreensão do seu processo de vida e de adoecimento, além do enfrentamento do diagnóstico, do prognóstico e da construção de um espaço para resgatar seu valor enquanto ser humano. Esse é o trabalho que fazemos com os pacientes do Grupo Conviver na São Carlos.

Como lidar com o diagnóstico? É comum a oscilação entre momentos de negação e otimismo?
Não existe uma fórmula mágica para lidar com o diagnóstico, a oscilação de humor é comum e, em sua maioria, as pessoas precisam de algum tempo para se ajustar ao fato de que estão com câncer. Precisam de tempo para pensar no que é mais importante em suas vidas e aceitar o apoio de seus familiares e amigos. Para muitos, este é um momento emocionalmente difícil e por isso sentimentos como raiva, medo, choque e descrença podem ser comuns.

A feminilidade de muitas mulheres fica afetada durante e após o tratamento. Quais são as dicas que você dá para elas nesse momento?
Se enxergar em uma nova imagem corporal, aprender e aceitar seu corpo durante e após o tratamento do câncer de mama é uma jornada pessoal e diferente para cada mulher. A questão da feminilidade pode ser bastante auxiliada com a busca de informações e também com a busca de grupos de apoio mútuo, que enriquecem as trocas de experiências e vivências.
Procurar informação e entender que sexualidade vai muito além do próprio ato sexual é importante, assim como o apoio do (a) companheiro (a) e compreensão de que cada um tem seu próprio tempo.

Quais outras dicas você dá para quem enfrenta o tratamento?
A experiência do câncer é única para cada um dos pacientes. O momento mais difícil costuma ser o pós-diagnóstico, assim como durante as diferentes etapas do tratamento – cirurgia, quimioterapia, radioterapia e possíveis recaídas. Pesquisas realizadas nos últimos anos concluíram que pacientes otimistas, em geral, têm resultados mais positivos no tratamento oncológico. O emocional gera uma alteração negativa de hormônios que interfere até no tratamento. Pacientes emocionalmente bem enfrentam a doença de forma mais tranquila.

1. Não tenha medo da informação. É importante manter-se informado sobre o andamento do seu tratamento. Isso ajuda a compreender como será o caminho para enfrentar o câncer.

2. Busque apoio nas pessoas que você ama.

3. Procure apoio também em pessoas que passam por situações parecidas.

4. Esqueça as estatísticas, resista à tentação do “Dr. Google” e peça informações ao seu médico, ele melhor que ninguém conhece seu caso.

5. Não pare sua vida por causa do câncer, manter a normalidade é fundamental para a saúde mental.

6. Muitas pesquisas também apontam que a meditação mindfulness, por exemplo, ajuda no tratamento ao reduzir os hormônios do estresse e aumentar a sensação de bem-estar, além de ajudar a regular o sistema imunológico. Fé também traz benefícios similares.

Você indica que as pacientes continuem a rotina durante o tratamento? Ou é importante dar uma pausa?
Manter a normalidade é importante para a saúde mental quando nos deparamos com um diagnóstico de câncer. Ocupar a cabeça com problemas que vão além do consultório médico faz toda a diferença no equilíbrio emocional.

Quais dicas você dá para familiares e amigos de quem enfrenta o câncer de mama?
Sabemos que o diagnostico de câncer abrange não só o paciente, mexe com toda estrutura social e familiar. Normalmente, orientamos que os familiares:
– Mantenham-se informados sobre o que está acontecendo;
– Cuidem também da própria saúde, é muito comum que no cuidando do outro o familiar se esqueça dele;
– Cuidem dos seus sentimentos e, se necessário, procure ajuda profissional;
– Consigam dar carinho e entendam que a perspectiva do paciente foi modificada (saúde/doença), assim como o timing;
– Ofereça ajuda, saiba ouvir e principalmente se permita chorar e permita o outro chorar. É importante saber que altos e baixos emocionais são comuns e que tanto o familiar quanto o paciente podem ter vontade e devem chorar.

Especial Outubro Rosa

Depois da nutricionista Patrícia Augstroze dar dicas de alimentação para prevenir o câncer de mama e de contarmos aqui sobre um documentário que será lançado sobre o assunto, hoje conversamos com a Dra. Patrícia Alves, médica oncologista da São Carlos Saúde Oncológica, hospital especializado no tratamento oncológico completo.

Aqui ela dá dicas preciosas para o cuidado contra a doença. Afinal, a informação é nossa maior aliada contra o câncer de mama.

Quais produtos evitar para se prevenir?
Muito se diz acerca da associação entre o uso de sutiã e desodorante com a ocorrência do câncer de mama, mas vale a ressaltar que não houve comprovação científica. Há também questionamentos quanto ao implante da prótese de silicone, porém em estudo realizado anteriormente não foi constatado aumento da incidência nessas mulheres com prótese.

Quais alimentos evitar para se prevenir?
Nunca houve tanta preocupação com a qualidade da alimentação quanto nos últimos tempos. Ter uma dieta equilibrada é uma maneira de prevenir o câncer de mama. Deve-se evitar principalmente o consumo excessivo de carnes vermelhas e gordura saturada (geralmente de origem animal) e não abusar de bebidas alcoólicas.

Quem faz parte do grupo de risco?

  • As mulheres são pelo menos 100 vezes mais suscetíveis ao câncer de mama do que os homens, mas é possível que este tipo de câncer se desenvolva também entre eles;
  • Apesar de ser mais comum nas mulheres a partir dos 30 anos, nos últimos anos a incidência do câncer de mama em jovens tem crescido. Assim, quanto maior a idade, maior o risco;
  • A obesidade é um fator que aumenta o risco, principalmente após a menopausa;
  • Mulheres que não tiveram filhos e não amamentaram ou com primeira gravidez tardia;
  • Mutações genéticas;
  • Reposição hormonal em mulheres que já tiveram câncer de mama ou com histórico familiar;
  • Exposição à radioterapia prévia.

Esse grupo deve tomar precauções especiais?
Sim, é importante manter consultas periódicas com o mastologista e realizar os exames de rastreamento.

Qual frequência considera ideal para fazer exame?
A recomendação médica no Brasil é que a mamografia seja realizada anualmente a partir dos 40 anos, para auxiliar o diagnóstico precoce do câncer de mama. Caso haja algum fator de risco, deve-se iniciar mais precocemente ou reduzir este intervalo, sempre com orientação médica.

Qual o período do mês é mais indicado para realizar o autoexame?
O autoexame é, na verdade, apenas o autoconhecimento das mamas; é importante frisar que não pode ser utilizado como exame de rastreamento para o câncer de mama. Ele pode ser feito 1 semana após a menstruação e, em mulheres que não menstruam, sempre na mesma data do mês. Assim, as mulheres devem ficar alertas a qualquer alteração nas mamas e não deixar de fazer o acompanhamento com o ginecologista e os exames de rotina.

A mamografia são os únicos exames que detectam?
O autoexame é apenas uma forma da mulher tentar identificar alguma alteração nas mamas. Ele não pode ser utilizado como exame de rastreamento. O principal exame para detecção é a mamografia e, em alguns casos, são solicitados exames complementares como ultrassonografia e ressonância das mamas.

Dicas de bem-estar para quem enfrenta o câncer de mama.
Manter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos com regularidade e desenvolver atividades que lhe causem bem-estar e tranquilidade são algumas dicas para quem está em tratamento de câncer. Manter uma rede de apoio sócio-familiar também é importante para que a paciente se sinta confiante em encarar este desafio de frente. A São Carlos Saúde Oncológica conta com uma equipe multidisciplinar que atua nas áreas de Serviço Social, Psico-oncologia, Nutrição, Fisioterapia, Fonoaudiologia, entre outros serviços. Tudo para oferecer todo o suporte que nossos pacientes necessitam durante o tratamento.

A mama deve ser a única área de preocupação das mulheres?
A mama, normalmente, é o local primário deste tipo de câncer. Em alguns casos, o câncer pode também acometer as axilas e enviar metástase para outros órgãos, podendo espalhar a doença para diversas áreas do corpo. Assim, é importante que a mulher fique atenta a qualquer sinal de alteração na região das mamas.

Especial Outubro Rosa

Quando uma doença que pode ser devastadora toca você ou alguém próximo, existem muitos caminhos possíveis, mas o principal é acreditar. Essa mensagem será passada em breve nas telas por casal cheio de empatia que vai lançar um documentário sobre a história real de luta, vitórias e alegrias de mulheres que sobreviveram e sobrevivem ao câncer.

Nesse Outubro Rosa, precisamos pensar na doença. A melhor forma de espalhar informação e esperança é através da imagem positiva de figuras femininas que contam como foi passar por esse momento tão duro com um sorriso no rosto. Elas ensinam como a manter a confiança na cura e no que existe além dela: a vida.

O filme Além da Cura entrevista mulheres ao redor do mundo, desmitificando o câncer e mostrando as mais diferentes maneiras de lidar com ele, superar tabus e os desafios do próprio corpo. Produzido pela jornalista, fotógrafa e videomaker Bruna Monteiro e pelo empreendedor social Victor Maristane, o documentário mostra experiências pessoais de superação, tratamento e preconceito.

O filme promete ser lançado em 2018 com a ajuda de quem ajudou a financiar o projeto através do Catarse.

Afinal, a cura pode ser um longo, mas belo caminho!

Confira aqui dicas de alimentação para se prevenir contra o câncer de mama.