AS MUDA(NÇA)S DE BEATRIZ DE SANTIAGO

A coragem de mudar a direção da própria vida e o ambiente ao redor começou como uma pequena muda de planta para Beatriz de Santiago. Regada com muita inspiração, a vontade da paisagista – até então advogada – foi crescendo até ser grande o suficiente para provocar uma reviravolta no caminho dela.

Foi numa visita ao parque inglês Kew Garden que ela teve um estalo. Largou o Direito e foi estudar a arte de dar novas formas aos ricos contornos da natureza. Agora termina um curso de Paisagismo Ecológico e tem sua própria empresa.

Hoje cultiva o sonho de dar asas ao Muda Rio, projeto que revitaliza praças e canteiros cariocas abandonados. Afinal, são mais de 650 mil árvores e 2.200 espaços verdes públicos que precisam de conservação na cidade. Apesar de estar vigente desde 2012, a iniciativa ainda tem muito a crescer, pois carece da contribuição.

Apaixonada pelo que faz, por pintura e pela rica paleta de cores da natureza, hoje ela também mantém o sonho de implementar hortas em escolas públicas.

Esperamos que Beatriz colha lindos frutos desses projetos!

Para começar, conta um pouco sobre sua trajetória.
Sempre fui apaixonada por natureza, o contato com a terra, de admirar as silhuetas das plantas, as cores e texturas do verde, o cheiro das flores. Sou formada em Direito e exerci por 7 anos a profissão de advogada. Em 2008 fui estudar em Londres. Já tinha lido sobre a vida de Burle Marx e quando entrei no Kew Garden, o parque inglês onde ele teve as suas maiores inspirações, não teve jeito, uma intuição me fez mudar a direção da minha vida. O verde pulsava e minha vontade era poder sair plantando por toda parte. Fiz vários cursos, workshops e estou finalizando um projeto de Paisagismo Ecológico.

Como o paisagismo entrou na sua vida?
Não foi fácil fazer essa migração de carreira, muitos não se conformavam que eu deixasse o Direito. O paisagismo entrou de forma linda através de sinais e muitas coincidências que me fizeram acreditar que daria certo. Comecei fazendo o curso sobre ervas medicinais no Jardim Botânico do Rio. Após 3 anos de muitos estudos e viagens técnicas, montei uma loja-conceito de paisagismo, a partir daí, não parei mais. Sou uma pessoa muito realizada e privilegiada de poder trabalhar com o que realmente amo. Sou apaixonada pelo paisagismo.

Quais aspectos você leva em consideração na hora de criar um projeto?
São vários aspectos que levo com consideração. Preciso realizar a visita técnica ao local, conversar com o cliente para entender a dinâmica familiar, se há disponibilidade de tempo para regar as plantas, quais os gosto, etc. Depois preciso analisar o entorno do local, se pega sol ou sombra, se é arejado, como será a irrigação e por aí vai.

Como, quando e por que decidiu criar o projeto Muda Rio?
Sou apaixonada pelo Rio de Janeiro, apesar de todos os problemas que estamos enfrentando, tenho alguns sonhos para realizar na nossa cidade. O clima é muito favorável. Temos a maior floresta urbana do mundo, que é a Floresta da Tijuca. Temos os parques e jardins assinados pelo maior paisagista de todos os tempos, Burle Marx. Infelizmente, ainda temos praças e canteiros abandonados por toda a cidade. Isso começou a me causar tristeza. Comecei a pensar que poderia incentivar e conscientizar pessoas e empresas a mudar a cara do Rio. Hoje, tento convencê-las a proporcionar o bem-estar não só para seus funcionários e clientes, mas também para tornar o Rio um lugar melhor.

Qual é a atuação do projeto hoje?
Infelizmente está longe do que idealizei, mas tenho algumas propostas em análise. Com a crise, as empresas passaram por muitas reestruturações financeiras e me parece que os projetos estão suspensos temporariamente.

Quais são os resultados que ele trouxe desde a sua criação? 
O Muda Rio me trouxe esperança de um dia ver as praças mais bem cuidadas, pessoas mais felizes e saudáveis. O projeto ainda não avançou como eu gostaria, mas recebo muitos e-mails de pessoas pedindo para revitalizar a praça/canteiro perto de suas casas. A revitalização é um processo, preciso dar entrada no pedido na Fundação Parques e Jardins. Depois da aprovação, é preciso reformar e fazer manutenção do jardins.

Como uma pessoa pode ajudar o Muda Rio?
Inicialmente tinha duas opções: por contrato empresarial ou crowdfunding, mas por algumas circunstâncias da época não consegui seguir essa 2ª opção. Devo voltar em breve a tentar o financiamento coletivo.

Quais são os critérios de escolha dos espaços a serem revitalizados?
Geralmente é no entorno da empresa, mas não é uma regra. Pode ser próximo a espaços culturais, esportivos, uma praça com grande visibilidade. As empresas podem ter o retorno de um marketing ecologicamente correto.

A partir do momento em que o canteiro ou praça é escolhida, quais são os próximos passos?
Depois do local escolhido, é necessário aprovar o projeto e orçamento com o cliente. Em seguida o projeto é submetido a análise a aprovação da prefeitura, através da Fundação Parques e Jardins.

Também queremos saber um pouco de você. Quais são suas paixões? O que te inspira?
Inspiração para mim está nas coisas mais simples da vida. É ver um pé de jabuticaba crescer e o beija-flor vir apreciar. É plantar uma palmeira e vê-la se desenvolver com o vento balançando as madeixas. É sentir o perfume autêntico do jasmim, da lavanda ali bem da sua varanda. E dessa forma a família poder praticar e compartilhar hábitos que preenchem a alma. Outro dia recebi a visita de um tucano na minha varanda e fiquei apenas admirando a liberdade e a riqueza da mãe natureza. Amo o que faço, ver os sonhos dos meus clientes realizados é uma felicidade. Pintar aos domingos também é uma das minhas inspirações.

Tem algum sonho para o futuro?
Meu sonho é que as pessoas não esqueçam que precisamos cuidar do verde para o mundo não ficar cinza. Que a cidade floresça desse momento nebuloso e possamos sentir o cheiro de terra molhada acalentando e tranquilizando nossos corações. Eu adoro plantar com crianças e tenho um sonho de implementar hortas em escolas públicas.

Conta um pouco da sua relação com a Maria Filó.
A minha história com a Maria Filó é antiga. Quando eu advogava, eu trabalhava perto do Shopping Vertical, do Centro do Rio. Eu vi a loja nascer lá e me vestia de Maria Filó para as minhas audiências. Depois que me tornei paisagista, fiquei mais apaixonada ainda com as mais lindas estampas florais que só a Maria Filó tem. A minha blusa jeans com flores é uma paixão. O charme e a personalidade das coleções são únicos.

  • Tags

compartilhar post

posts relacionados

    MARIA FILÓ © 2017 Todos os direitos reservados.